10 dias sem açúcar

Comecei hoje a experiência de passar 10 dias sem consumo de açúcar. Pode ser que nada aconteça, pode ser que meu humor fique péssimo, pode ser que eu desista no meio. Vamos ver.

Essa experiência, na verdade, tem a ver com o cigarro. Eu não fumo e nunca fumei, por isso, para mim é muito fácil olhar feio e imaginar que alguém pode simplesmente parar de fumar. Olhando meu próprio umbigo, meu vício é açúcar.  Como tranquilo uma barra inteira de chocolate em um dia ruim. Então resolvi testar se eu consigo ficar um tempo sem.

Não sou de comer muito açúcar, desse refinado de colocar no café. Mas se somar o que eu como de chocolate, bolo, sorvete, geléia e afins, é muita glicose.  Agora serão 10 dias de café sem açúcar (vai ser difícil), sem balas, jujubas ou pirulitos e nada de chocolate. :(

Me preparei para esta semana com bolo de cenoura e coca-cola. =3
Me preparei para esta semana com bolo de cenoura e coca-cola. =3

Pão, apesar de ter açúcar, está liberado, porque tenho certeza que não fico 10 dias sem. O objetivo aqui não é nem ser mais saudável, então trocar geléia por embutidos vale.

Talvez seja fácil. Talvez eu fique muito chato (perdão adiantado aos que convivem comigo). Dona esposa apostou que no terceiro dia já desisti.

Aguardaremos os próximos capítulos.

— Atualização —

Dia 1.

O engraçado sobre o café sem açúcar é que ele é ruim. Sério. Não dá vontade de tomar café, o que me leva a pensar se a vontade tem a ver com cafeína ou açúcar. Ou ambos. Continuei tomando, mais por hábito mesmo. O dia foi tranquilo, mas à noite a dificuldade em resistir aumentou. Como geralmente como um docinho à noite, ou tomo um leite, fiquei com a sensação de não ter jantado. Talvez a esposa esteja certa, não sei se aguento 10 dias.

Dia 2. 

O tal bolo delicioso que eu não comi.
O tal bolo delicioso que eu não comi.

Dia de prova difícil, já que teve aniversário na agência, com festinha, bolo e refrigerante. Resisti bravamente! Continuo sentindo falta do açúcar, principalmente à noite, mas não percebi qualquer alteração no humor. Talvez porque terça-feira seja o dia em que faço curso de iniciação ao espiritismo, cujas aulas sempre me trazem serenidade. Ahn, o café está lentamente se tornando mais palatável.  As discussões no Facebook têm se tornado uma das partes mais divertidas da experiência toda.

Dia 3. 

Sobrevivi ao terceiro dia, o que significa que passei da expectativa da esposa! Pensei em tomar um Yakult, mas fui olhar no rótulo, e tem açúcar, droga! Será que tudo tem açúcar e o mesmo gosto, e até hoje eu não havia percebido isso? O curioso é que não estou sentido alterações no humor, acho que até um pouco o contrário, me sinto mais equilibrado. Claro que tudo isso pode ser placebo. O café sem açúcar está melhorando. :)

Dia 4. 

Volta e meia me pego perguntando por que estou fazendo isso, principalmente naquela hora que bate a vontade de um docinho. Não tem a ver com saúde, é mais uma experiência sobre vício e sobre os efeitos do açúcar sobre meu corpo, ou de sua ausência.

Reparei que tenho bebido mais água. Quando você faz um lanche acompanhado por um copo de leite, é um copo de leite. O mesmo lanche com água pede dois ou três copos. Acho que não seria interessante cortar o açúcar se eu estivesse tentando emagrecer, já que, na vontade de comer um doce, acabo comendo dois salgados.

Dia 5.

Já que não pode fazer bolo, resolvi torrar amendoim.

Dia 6.

Sábado é difícil, já que é o dia oficial de tomar sorvete e comer besteiras. Acho que finalmente a experiência afetou meu humor, passei o dia irritado e com dor de cabeça, sem saber por quê. Passei no drive-trough do McDonalds e por pouco não pedi um McFlurry (sorvete) e mandei a experiência toda pro espaço.

Dia 7. 

Domingão difícil, humor péssimo. Sabe aquela sensação de ardência  que fica na língua depois de comer algo muito salgado? Estou assim constantemente. Domingo sem Coca-cola não é domingo, não tem a mesma graça. Tem uma barra de chocolate na geladeira, que na história deste país nunca durou tanto tempo. Experiência idiota.

Dia 8. 

Trapaceei sem perceber. Organizamos um evento em SP, onde em determinado momento havia distribuição de Red Bull, que aceitei sem pensar. Só fui lembrar que tinha açúcar quando a lata estava quase no fim. Em compensação, o pessoal abriu uma caixa de bombons ao final do evento, que fiquei olhando, só olhando… Quanto mais tempo passa, menos eu consigo arrumar uma explicação decente sobre por que estou fazendo isso, ou seja, se a ordem fosse parar de vez, não conseguiria. Só mais dois dias!

Dia 9. 

É engraçado como a rotina facilita muito as coisas, o hábito é um poderoso instrumento de persuasão, difícil é encaixar as coisas e criar um novo hábito.

Dia 10. 

Último dia da experiência, sem grandes dificuldades, embora eu realmente estivesse esperando o fim para poder voltar a comer sem restrições.  Hora de juntar as impressões sobre a experiência toda.

Humor: Esta parte realmente me surpreendeu, eu esperava alterações mais drásticas de humor. Pensei que eu fosse ficar tão chato quanto sou quando estou com fome, o que não aconteceu.

Saúde: O efeito em minha saúde foi o contrário do esperado, pois ao cortar o açúcar aumentei bem a quantidade de sal e sódio, que podem ser muito mais danosos ao organismo. Em vez de comer um docinho, apelava para dois ou três salgados. Agora é diminuir o sal, 10 dias sem sal! Hahaha, não.

Força de vontade:  A parte mais valiosa da experiência.  Em geral era fácil resistir às tentações, principalmente ao pensar que seriam apenas 10 dias. No entanto, em diversos momentos eu questionava sua validade, queria mandar tudo isso para o espaço. Ou seja, ao realizar uma mudança (qualquer uma) que o colocará a prova, é melhor martelar um motivo muito forte para isso em sua cabeça, pois haverá momentos em que ele será a única coisa para se agarrar. Auto-sabotagem acontece, sua mente começa a raciocinar ao contrário para justificar o seu desvio.

Minha esposa fofa comprou um muffim para eu comer no décimo primeiro dia. <3
Minha esposa fofa comprou um muffim para eu comer no décimo primeiro dia. <3

Facebook: Costumava postar todos os dias uma atualização. Como o Facebook oculta as mensagens para parte do público (em média, só 1/3 dos seus contatos vêem qualquer publicação sua), meus amigos foram sabendo da experiência aos poucos, cada um em um dia diferente. Os comentários nas mensagens também foram uma parte ótima, é bem legal saber como cada um pretende se privar de algo diferente, para saúde, para emagrecer, por diversos motivos. Recebi apoio de pessoas inesperadas, conversar sobre isso foi divertido.

Muito obrigado por todo mundo que participou desta experiência comigo, seja comentando no Facebook, seja oferecendo chocolate para me testar! :)