Universo Desconstruído II – Ficção Científica Feminista

tumblr_o34bc7t9k41qa42ilo1_500Universo Desconstruído II – Ficção Científica Feminista

Se você ainda não baixou, vá lá baixar o Universo Desconstruído II, uma coletânea de contos feministas, totalmente grátis. Tem coisa imperdível neste volume, cujos contos são FC de primeira protagonizados por todo o tipo de personagens femininas.

Baixe em http://universodesconstruido.com/

Como toda coletânea há pontos altos e baixos. Vou comentar apenas meus favoritos:

Começamos com “Corpo Escuro”, um incrível cordel de Jarid Arraes. Nunca havia lido FC em cordel e vou te contar, gostei demais!

BSS Mariana, de Lady Sybylla, é um belo conto antenado com a FC contemporânea. Uma nave de exploração, considerada perdida, retorna à terra depois de cem anos, e agora Endyra e sua equipe precisarão descobrir o que aconteceu com ela, o que ou quem está lá dentro e ainda sambar na burocracia envolvida no assunto. Embora essa parte de “burocracia” seja enfadonha em alguns momentos, o conto melhora muito da metade para o fim.

A Divina Nervura do Virtual, de Ben Hazrael, é uma porra-louquice maravilhosa. E isso basta.

Boneca, de Clara Madrigano, é aburdamente incrível, se for para escolher um conto para te convencer a baixar este livro, é este. Sou fã de carteirinha da autora e este conto é de prender o fôlego, de tão angustiante. Acompanhamos em primeira pessoa uma menininha que é mantida prisioneira por um homem em um porão. Sem meias palavras, sentimos cada minuto da agonia da protagonista, e coisas acontecem e você quer abraçar a personagem e dizer que vai ficar tudo bem e… Caramba. Que conto!

Por fim, uma pequena birra, ou melhor, crítica técnica de quem edita e-books: Não tem índice! Aaaaargh! (Nem em página, nem o automático do Kindle). Eu queria mostrar um conto para a esposa e foi horrível ficar passando as páginas para lá e para cá até encontrá-lo!

Binti – Nnedi Okorafor

tumblr_o2yuidu1vr1qa42ilo1_500Binti – Nnedi Okorafor

Que novela incrível. Com 96 páginas, tem o tamanho ideal para a sua narrativa, que pode ser devorada de uma única vez. Binti é a primeira da tribo Himba a conseguir uma vaga na Oomza University, uma das melhores da galáxia. Para realizar o sonho de estudar ela foge de casa, mas durante a viagem algo terrível acontece. Trata-se de uma jornada de personagem, na qual Binti tenta equilibrar as tradições de seu povo com o conhecimento moderno, enquanto tenta sobreviver a um ataque das Medusas. Os cenários e elementos futuristas presentes na narrativa são incríveis e muito bem colocados (como por exemplo as naves que são criaturas orgânicas como camarões espaciais ou algo assim), e bastante equilibrado com o senso de “compromisso” da protagonista.

Enfim, adorei a jornada. Tem grandes reviravoltas? No começo sim, no final não muito, mas isso não importa, o que importa mesmo é descobrir como Binti vai conciliar mundos tão diferentes. E a narrativa é maravilhosa.

Leia o começo de Binti no site da Tor.com, em http://www.tor.com/2015/08/17/excerpts-binti-nnedi-okorafor/

Um Horizonte de Vermelho e de Corvos

tumblr_o2ebhzBiIv1qa42ilo1_500Um Horizonte de Vermelho e de Corvos
Bruno Magno Alves e Atlas Moniz

A novella escrita por esta dupla de escritores apresenta um mundo incrível, fragmentado, construído por pedaços de vários outros lugares. Fiquei com vontade de saber mais sobre esse espaço, ou não-espaço.

O trecho segue uma fórmula relativamente clássica: você tem o personagem jogado naquele mundo, o personagem experiente que faz as vezes de tutor e “o inimigo” que quer acabar com a anomalia causada por um daqueles dois.

O problema é que são páginas demais para história de menos. A história é ótima, a relação entre os protagonistas vai se construindo de modo muito interessante, mas a trama soa arrastada, as coisas só começam a acontecer de verdade lá pela metade do livro, quase abandonei antes disso.

Em resumo: um cenário ótimo uma boa história e a falta de alguém para cortar o excesso de páginas. Para quem gosta de um desenvolvimento lento, pode interessar.

Ele, que Caça Emoções (Capital Revelada) – Atlas Moniz

tumblr_o2ead46LMA1qa42ilo1_400Ele, que Caça Emoções (Capital Revelada) – Atlas Moniz

A primeira coisa que me chamou a atenção sobre o livro é como o seu enredo parece um Anime (Ou talvez um mangá, que não tenho o hábito de ler). Além das muitas referências à cultura japonesa, existe um certo “estilo” no enredo, dramas e personagens. Por um lado isso é um grande mérito, porque a trama é rica, prende, você realmente se interessa por cada um dos personagens. Por outro, ele traz o exagero típico desse meio narrativo, se não nas expressões, pelo menos nas situações carregadas nos tons e dramas. Seus personagens são “cinzas”, deprimidos, perdidos, que em certo momento também cansam. (O autor falou mais sobre o processo de escrita desse livro em seu blog: capitalrepublicana.wordpress.com)

Quanto à linguagem, o livro que demonstra uma linguagem bem trabalhada, mas com um tom particular do escritor, uma “voz” narrativa que em alguns pequenos momentos parece cansativa, principalmente no começo, onde a trama ainda não está tensa o suficiente para puxar a narrativa. Também tive certa dificuldade em acompanhar os personagens, em entender em determinados trechos a quem aquela ação se referia, demorei capítulos para entender quem era “o mais velho” e “o mais novo” descrito nas ações para evitar repetições.

Por fim, o livro é muito bom, eu adorei ele, li em praticamente dois dias. Mas também não é para todo mundo, consigo pensar em poucas pessoas a quem recomendaria a leitura. Se você se interessa pela temática habitual em Animes, personagens deprimidos e dramas familiares (com monstros e fantasmas, claro), vai fundo!

Breve comentário sobre Agreste Fantástico – Conjurações e Terra Seca

tumblr_o1zm9cjY161qa42ilo1_500Breve comentário sobre “Agreste Fantástico – Conjurações e Terra Seca”

Ganhei este livreto no Manifesto Irradiativo, da autora Paola Siviero (que por sinal está na Trasgo 09), e resolvi folhear para ver qual é. Primeiro, ele é bem diagramado e gostoso de ler, o que já passa na frente de muitas publicações do tipo.
O enredo é divertido, se passa no sertão brasileiro e foca na relação de dois personagens, a maga Josefa e Toninho, caçador. E tem trolls do agreste, uma mula chamada Véia e uma linguagem bastante solta e dinâmica.
É um conto curto, de dezesseis páginas, mas cumpre o seu papel e me deixou bastante curioso em relação ao projeto mais longo da autora nesse cenário.

A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison – Enéias Tavares

tumblr_o1o2o57pMm1qa42ilo1_500A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison – Enéias Tavares

Comecei a ler o livro bastante incomodado com as passagens racistas e sexistas, mas toquei adiante, porque como conheci o autor, sabia que não seria do seu feitio colocar aquilo ali no livro. Dito e feito, pouco adiante percebemos que aquela era a visão de um dos personagens apenas, um dos vários contrapontos apontados de modo muito inteligente pelo autor.

Assim, também já cabe dizer que o romance é “epistolar moderno” (me falta um termo melhor para descrevê-lo). É uma colagem de textos escritos por seus personagens, o principal deles o jornalista Isaías Caminha descrevendo sua experiência ao viajar a Porto Alegre para acompanhar a investigação dos crimes do tal temível Dr. Louison.

O livro faz uma brincadeira com personagens clássicos da literatura brasileira, atirando-os em uma Porto Alegre de 1911 steampunk, com autômatos, maravilhas anacrônicas e claro, muito do preconceito e patriarcalismo arraigados na nação, elementos importantes que são desconstruídos na trama.

Dito isso, eu tinha muito para amar o livro, mas apenas gostei. Isso porque, como homenagem aos grandes autores brasileiros do século passado, Enéias imita o seu estilo de escrita, adaptando um pouco a linguagem e a tecnologia. Embora um exercício muito interessante, achei a leitura bastante cansativa. Como isso é questão de estilo e sei que muitos amam um texto mais rebuscado, acredito que o livro tem seu público.

Vale pela ótima trama e suas várias passagens bastante intensas.

PS: A capa, embora bonita, definitivamente não combina com o seu conteúdo.

Saiba mais sobre o universo do livro em brasilianasteampunk.com.br

Prata, Terra e Lua Cheia – Felipe Castilho

tumblr_o1mnekWMau1qa42ilo1_500Prata, Terra e Lua Cheia – Felipe Castilho

O segundo volume do Legado Folclórico é melhor que o primeiro. Bom, ele é mais intenso, sem dúvida, o que é uma grande vantagem. Mas também demora mais para chegar em uma parte realmente interessante, onde os protagonistas estejam em perigo, lá pelo 1/3 do livro, por isso o começo da leitura foi difícil, um tanto arrastado.

Ficou a sensação de que os personagens evoluíram, as situações estão mais sérias, mas também mais pessoais. E ao mesmo tempo mais divertidas, com humor pontuado no lugar certo.

PS: Preciso terminar logo de fazer os comentários sobre os livros que li ano passado, está cada vez mais difícil comentar algo que já li há mais de mês!

Breves impressões sobre alguns livros infantis

tumblr_o0uwiybNaE1qa42ilo1_500Breves impressões sobre alguns livros infantis

Quando comentei com um amigo sobre a dificuldade que estava tendo em escrever um livro infantil, ele resolveu me emprestar uma pequena seleção do que costuma ler para o seu filho. Aqui vão algumas impressões.

O Dragão de Gelo – George R. R. Martin
É um conto bacana. Apesar de infantil, tem guerra e tem morte (um bocado). Tem uma ótima fluidez narrativa, mas também não tem apresenta demais que chame a atenção. Escrever “Nasce um clássico” na contracapa foi pretensão DEMAIS da Leya. Vale pelas incríveis ilustração de Luis Royo.

O Livro dos Medos – Autores diversos
Este livro sofre do “mal de coletâneas”. Alguns muito bons e outros bastante medianos, que sofrem de didatismo. Destaque para “Nininho de Antônio de de Afonso”, de Zelia Cavalcanti e “Nas asas do Condor”, de Milton Hatoum, que chamaram mais a atenção.

Silêncio: Doze histórias universais sobre a morte – Ilan Brenman e Heidi Strecker

Eu acho que teria gostado muito do livro se não fosse o título, que me gerou uma expectativa errada. Abri esperando mitos que exploravam o conceito de morte, renascimento e fim, mas encontrei um livro sobre folclore de diversos povos, onde, enfim, pessoas morrem. Mas não é tratada como um ponto de partida para debate ou outras explorações mais interessantes.

Historinhas em versos perversos – Ronald Dahl com ilustrações de Quentin Blake

Um livro bastante divertido para exercitar o lado mais traquina das crianças (e adultos). Os contos clássicos são subvertidos de maneiras divertidas e inteligentes, com finais muito mais interessantes (e menos moralizantes) que os originais. O livro é todo em verso, o que deve dar um charme a mais em uma leitura em voz alta para crianças.

Eloísa e os bichos – Jairo Buitrago e Rafael Yockteng

Que livro incrível. Dessa lista, sem dúvida o meu favorito. Na contracapa: “Uma menina chega a uma nova cidade e se defronta com um mundo desconhecido e se surpreende, onde se sente um verdadeiro ‘Peixe fora d’água’, um bicho estranho!” Questões como rejeição, aceitação, o convívio em uma sociedade diferente, imigração. Tudo isso transparece nas 36 páginas quase sem texto. Comprem que vale.

Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço

tumblr_nysqoxJjqS1qa42ilo1_500Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço

Tem 4 mulheres. E elas são piratas espaciais. E Germana Viana é uma pessoa meio insana. E Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço deve ser a HQ mais sensacionalmente doida que eu já li em português. Ok, podemos falar que a Germana tem um ótimo controle do posicionamento de quadros, cada página é bastante diferente sem que a história perca a unidade ou confunda, o traço é simples, sem frescuras, mas bem divertido, com poucos e bem posicionados detalhes. Mas gente. O roteiro é fantástico. Leiam, é engraçado. Do tipo que tem pombos que são criaturas maléficas. Mas os POMBOS SÃO BARATAS FAZENDO COSPLAY!

Você pode ler algumas das histórias ou comprar o livro em lizziebordello.com

Lobo de Rua – Jana P. Bianchi

tumblr_nyqgkxLkyx1qa42ilo1_500Lobo de Rua – Jana P. Bianchi

Conheci a Jana no lançamento de seu próprio livro. Já tínhamos trocado uma ou duas palavras online. Comprei Lobo de Rua para ajudar uma conterrânea, sem saber o que esperar. Tive uma grata surpresa.

Mesmo autopublicado, o livro tem um bom acabamento, simples e cuidadoso, com texto bem revisado. No entanto, talvez pela falta de alguém para fazer uma boa edição, o ritmo é inconstante. Começa muito bom, mas chega a um longo terceiro capítulo mais arrastado, onde muitas coisas são explicadas desnecessariamente. O ritmo melhora no final, que apresenta novos personagens e cenários que apenas dão as caras brevemente (possivelmente explorados futuramente em outras obras).

A escrita de Jana tem uma força natural, diálogos bem construídos que aumentam e diferenciam os poucos personagens dessa novela. Alguma cenas têm bastante impacto, sem cair no brega ou no clichê, o que por si só já é um feito notável e vale a leitura de Lobo de Rua, que como primeira publicação tem suas pequenas falhas, mas que apresenta uma autora que promete.

“Feitiço de Amor” – Clara Madrigano

tumblr_nyfp0b519m1qa42ilo1_400“Feitiço de Amor” – Clara Madrigano

Assim que terminei “Feitiço de Amor”, meu comentário foi exatamente esse “nossa, que conto incrível! Amor, lê isso AGORA!”. Esposa leu. E adorou também. Então temos aqui já duas pessoas recomendando este conto. Celeste é uma adolescente normal, e como toda adolescente normal, ela se apaixona por um personagem fictício. No caso, o Fantasma da Ópera. Mas, ao contrário de uma adolescente normal, sua melhor amiga (a narradora), mora a duas casas de Baba Yaga, que tem uma receitinha para dar um novo caminho para essa paixonite. Dizer mais seria estragar um dos contos mais divertidos que já li. Clara Madrigano escreve com leveza e fluidez, sem literalismos, sem tentar impressionar. Apenas conta uma boa história, e só quem escreve sabe como é difícil deixar a história falar por si só.

O conto foi disponibilizado pela autora de graça, então não tem desculpa para não lê-lo. Aqui:
http://tinyurl.com/feiticodeamor

A Mão Esquerda da Escuridão – Ursula Le Guin

tumblr_nyby8cdx9t1qa42ilo1_500A Mão Esquerda da Escuridão – Ursula Le Guin

Uma das coisas sobre clássicos é que existe a tendência a assumir que todo mundo conhece o livro, ou ao menos sabe que existe. Eu não sabia de nada da Ursula Le Guin até há três anos, e antes de A Mão Esquerda de Escuridão, não havia lido nada da autora. (Shame on me!)

Dito isso, leiam esse livro. É ótimo, é incrível. Eu esperava algo muito mais cabeça (pois o livro é sempre citado quando a questão do gênero na FC vem à tona), mas encontrei um romance divertido ainda que questionador. Resumindo toscamente, conta a jornada de Genly Ai, o primeiro enviado ao planeta Gethen, para fazer contato com os moradores locais em nome de uma organização intergalática. Genly acaba envolvido em uma trama política entre as duas principais nações do planeta e precisa conseguir sobreviver a intrigas enquanto prossegue em sua missão. A graça do livro está no fato de que gethenianos são assexuados na maior parte do tempo, e no período fértil podem assumir qualquer um dos gêneros, até alternadamente. (Tanto que o estrangeiro é considerado um pervertido bizarro por estar sempre no período fértil.)

Por favor, ignore minha resenha ruim e vá ler o livro. Porque o que importa não é a trama (embora seja muito divertida), a política (embora seja muito bem construída) ou os alienígenas e sua cultura (bastante complexos). O que importa são as sutilezas, a verdadeira história não está na frente do leitor, mas nas entrelinhas de uma relação que leva o livro inteiro para ser construída.