Pequeno Ladrão de Mamão

Pequeno Ladrão de Mamão

E num dia desses, céu azul e nuvem branca, o pequeno larápio parou na janela, atento. Dois metros a frente, um mamão. O meu mamão, cuidadosamente posicionado na cesta de frutas, ao lado das maçãs e sobre as laranjas.

Será que limpou suas penas azuladas antes de saltar para dentro de casa? Será que teve medo? E se a cachorra o visse? Teria velocidade suficiente para fugir? Será que fez uma breve planilha de prós e contras, uma estratégia de planos a, b e c?

A recompensa brilhava dourada ao sol da manhã. A brisa fresca cantava encorajadora. Todo passarinho já foi jogado do ninho uma vez, para aprender a voar antes do chão chegar. E com a audácia de quem a vida preparou para ganhar as nuvens, o pequeno ladrão de mamão pulou para dentro.

Deu uma, duas, três bicadas no mamão. Fartou-se. Voou-se. Viveu-se.