Re-começos

Queria escrever um pouco sobre a nova fase em minha vida. Mas estou aproveitando tanto, que não consegui desenvolver um texto sobre. Fiquem com alguns começos rascunhados…

60% dos paulistanos mudariam de cidade se pudessem. São Paulo me recebeu muito melhor do que eu jamais imaginaria, mas no fundo, nunca fui paulistano o suficiente para poder chamar a grande cidade de “Lar”.

As pessoas mudam de cidade, estado, país, rearranjam toda a sua vida pessoal por causa do trabalho. Preferi arrumar um novo trabalho por causa da minha vida pessoal.

Nunca acreditei em “certo” e “errado”, mas em escolhas e consequências. Acima de tudo, em escolhas. Se fosse para ficar, seria por uma escolha; decidi sair. Não para um novo começo, que sempre carrega uma forte conotação de abandonar o passado. Mas para uma nova etapa, um novo capítulo.

É bom, e ao mesmo tempo estranho pensar que você é o capitão da sua vida. O timão em suas mãos, e muitos outros contigo nesta Nau. Uns ficam no porto, alguns saltam ao mar, e outros são resgatados pelo caminho. e aos poucos você vai formando e remontando sua tripulação.

Alguns o acompanham pela vida, outros são ilhas, cada um com seus tesouros escondidos. Assim é a vida. Assim como a certeza da sua mão calejada em poder sentir a madeira úmida entre seus dedos.

E ainda assim, alguns insistem em não guiar. Em deixar que a maré os levem pelas suas vidas e humores. Ou outros, na ânsia de comandar, viram e viram e navegam por anos em círculos.

“Family comes first”, aprendi com o cinema. I’m a big boy now.

3 thoughts on “Re-começos”

  1. Gostei muito do primeiro ensejo de começo. É curiosa a sensação de sentir-se paulistano, mas não a ponto de sentir-se em casa por essas bandas.

    Também achei muito sábia a escolha de migrar para um novo trabalho em função da sua vida pessoal. Pra mim, isso é se dar valor. É ter objetivos que te colocam em primeiro lugar.

    Parabéns amigo.

  2. Adorei essa frase:

    “As pessoas mudam de cidade, estado, país, rearranjam toda a sua vida pessoal por causa do trabalho. Preferi arrumar um novo trabalho por causa da minha vida pessoal.” – me fez lembrar que você saiu da sua “cidade natal” para conseguir um trabalho, mas saiu daqui por causa do coração. Ótima escolha! X)

    Confesso que apesar de não ver o senhor como eu deveria, após a sua despedida, fiquei com um gosto de tristeza na boca. Algo como se um amigo de longa data estivesse indo para longe… longe da minha ilha…

    Uma hora dessas eu abandono o Wilson e pulo dentro do oceano! X)

    Um super abraço,

    tio .faso

Os comentários estão fechados.