By the Fire

Esse post provavelmente vai ficar desorganizado… Algumas coisas que quero escrever, outras que vou acabar lembrando no caminho.

Vou começar pelo final então: a fogueira que o Matt resolveu acender lá fora. Quando eu disse que estava quente, fazendo -3ºC, eu não estava bricando. Ok, um pouco. Mas a verdade é que estou tão acostumado ao clima abaixo de zero aqui que essas temperaturas próximas de zero nem são mais tão frias para mim. Eu só preciso de duas blusas nessa temperatura, que já fico aquecido. O mais importante mesmo é o gorro, porque sem ele, aí sim sua orelha fica gelada.

O Matt acendeu aquela fogueira muito rápido… Ele só empilhou a madeira lá e menos de dois minutos depois já estava tudo queimando. Foi divertido, o Bidula jogando o máximo de lenha que ele conseguia empilhar naquele espaço de concreto, o Bidula tentando tacar fogo em um arbusto, o Matt alegre com as três (ou será que foram cinco?) cervejas que ele tinha bebido, eu tentando tirar fotos com aquela iluminação parca. O Matt nos levou marshmallows, e nos ensinou a fazer um tipo de sanduiche de marshmallow, que por aqui é chamado de S’Moore. (Ou qualquer coisa parecida ou nada a ver com isso.) Trata-se de biscoitos do tipo crackers, chocolate, e marshmallow aquecido no fogo. Esmaga tudo isso e come. É muito bom, e dois desses já estufam bastante…

Acabamos conversando sobre coisas sem muita importância, como sempre ocorre em reuniões em volta de fogueiras, o Matt nos contou um pouco sobre como funcionam as universidades aqui, sobre os seus tempos de universidade, há alguns anos, e nós explicamos algumas coisas sobre o Brasil. Muita coisa não faz sentido no Brasil. Mas muita coisa não faz sentido por aqui também.

Agora a historinha de quando fomos esquiar. Chegamos na trilha já um pouco com medo de ficarmos presos, porque pegamos um quilômetro de pista com neve (na qual fomos a 20 km/h), até o estacionamento da trilha. Só que eu estacionei meio torto, e resolvi estacionar direito… E chuga-chuga-chuga-chuga… CHuga-chuga-chuga… O nosso carro não queria mais ligar. Que legal, ficar preso no meio do nada. Aí pegou! Resolvi estacionar direitinho e torcer para que ele ligasse depois do esqui. Aliás, o esqui a gente pode pegar de graça aqui no Lodge, que eles alugam para os hóspedes.

Enfim, uma vez na trilha estava divertido, é mais legal do que parece, porque você vai indo, e acaba indo rápido, principalmente na descida… Mas cansa. Cansa muito, tanto que nos três dias que seguiram a minha perna doía como se eu tivesse corrido uma maratona. Foi difícil fazer housekeeping se a minha perna mal respondia pra pular uma mochila no chão.

Amanhã vamos fazer snowboard, Downhill, acho que vai ser muito divertido! Vamos ficar o dia todo lá, provavelmente vamos nos cansar pra caramba. E cair milhares de vezes, rolar milhares de vezes colina abaixo…

Me lembraram que as minhas aulas começam na semana que vem. Nossa, como as coisas passam rápido, de repente, eu percebi quanto tempo eu estou aqui. Agora é só mais um mês de trabalhos americanos e diversões na neve. Só que quanto mais perto chega da hora de voltar para casa, mais ansioso eu vou acabar ficando…

PS: Arrumei as fotos no post anterior, e coloquei umas legendas, então dá uma conferida lá também!


Cascade Lodge com 15s de exposição

Foto da estrada com 15s de exposição

A seguir: eu brincando com fogo. (E com uma câmera fotográfica)


Matt e Bidula


Queima!!!


Não é droga não, é material de sanduíche de marshmallow


Algo parecido com isso…


Ou com isso…