O Futuro dos Games


Nota importante: O seguinte artigo não foi escrito por mim. Eu apenas selecionei algumas partes e o traduzi. Esse artigo pode ser encontrado no site: http://www.1up.com/do/feature?cId=3160292

Li anteontem uma excelente reportagem veiculada na revista online EGM, afiliada ao site 1UP, sobre o futuro dos video-games. Achei tão boa que vale uma resumida e traduzida aqui no blog. Aos aficcionados, a reportagem completa é leitura obrigatória!

O FUTURO DOS GAMES

Os Jogadores:

Quantos jogadores, afinal, estarão dispostos a vestir um esquelético capacete de bicicleta e controlar personagens com extrema concentração enquanto o bom e velho joypad funciona tão bem? A verdade é que, com o sucesso inicial do controle com sensores de movimento do Wii, e, antes disso, com a câmera EyeToy, da Sony, os dardos estão lançados.

Argumenta-se a favor do poder dos convencionais lugares dos botões, o uso convencional das molas sob eles, e daí por diante. “Por que trocar uma interface já apreendida por outra não-familiar? Enquanto não pudermos interagir com os games como interagimos com o mundo real, eu fico em cima do muro, salvo por algumas idéias geniais como Guitar Hero. Eu acho que controles continuarão sendo controles. E isso não é ruim.”.

No entanto, seja gravado por uma câmera, ou por meio de um capacete leitor de mentes, o estado mental de um jogador parece ser a fronteira final para a interface nas próximas duas décadas.

Os Jogos:

“Quando as limitações gráficas não forem mais um problema, o meio vai amadurecer para além da simulação, para a expressão. Em outras palavras, ao invéz de usar maquinaria pesada para imitar a realidade, os desenvolvedores devem criar novas realidades — Experiências surreais diferentes de tudo que já vimos. Parece inevitável que passemos pelo mesmo tipo de evolução que a arte ocidental na virada do século. Uma vez que o realismo foi atingido, os artistas se viram livres para experimentar formas mais abstratas de expressão.”

“Atualmente, personagens com IA (Inteligência Artificial) não fazem a menor idéia se você está animado, ou quê está pensando. Novas tecnologias permitirão isso. E será excitante ver o que os desenvolvedores farão com isso.”

O Online:

Como consumidores, temos muitas mídias “passivas” ao nosso redor, como TV e Filmes. A última coisa que um jogo deve fazer é emular essa passividade, despejando um pacote fechado. As pessoas estão famintas para participar mais ativamente de sua experiência com os meios e compartilhar suas criações e objetivos com outros na comunidade.

As pessoas jogam em tribos. Elas trazem seus amigos, conhecem outros, e então todos eles se vão juntos para um novo jogo. Ao mesmo tempo, a habilidade de entregar conteúdos nas casas das pessoas atráves da banda larga não é o futuro, isso é o presente.

A Tela:

Framerates maiores e imagens mais precisas já eram. Os desenvolvedores estão de olho no próximo passo lógico na evolução das telas. “Para mim, esse futuro está se definindo como os displays holográficos em 3 dimensões.”

O Mundo:

No futuro, ninguém mais vai ser um “gamer”. E isso porque todos, desde uma avó até uma irmã menor vai jogar. E conforme os dispositivos eletrônicos evoluem, e a conectividade se torna mais persuasiva, ao mesmo tempo que tudo se torna móvel, os jogadores terão seus jogos integrados com o seu dia-a-dia.

Hoje mesmo, meninos e meninas estão começando a jogar cada vez mais cedo. “Mas isso será visto como algo benéfico pelos pais, pois será parte do desenvolvimento da criança. Crescer em mundos digitais ensinarão às crianças uma nova forma de experiência social, as quais levarão consigo para a vida adulta. Haverá confluência da sua realidade como jogador com a realidade da sua vida, e isso será visto como uma só experiência social.

Os jogadores:

E então quem excluiremos do grupo que hoje chamamos de “gamers”? “Hoje não existe um grupo de pessoas que ouve música, ou que assiste TV. Isso porque todo mundo lê, ouve música e assiste TV. E todo mundo vai jogar.”

E quando isso acontecer, todo mundo vai ser capaz de jogar independentemente da sua habilidade ou experiência. Mais que nunca, os jogadores levarão o desejo de continuar jogando para uma idade mais avançada, assim como muitos vovôs hoje compram e namoram na internet. Não vai demorar até que todos eles estejam jogando.


Publicado

em

por

Tags: